PLAY

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Palavra do Dia... 30/09/2014.

Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não useis então da liberdade para dar ocasião à carne, mas servi-vos uns aos outros pelo amor. Gálatas 5:13

Bom dia amigos, em nome de Jesus.
Paz...Fé... Amor!!! TE AMO JESUS 
εïзMarciaValeriaεïз





segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Palavra do Dia... 29/09/2014

Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei. Gálatas 5:22-23
Bom dia amados, em nome de Jesus.

Paz...Fé... Amor!!! TE AMO JESUS 
εïзMarciaValeriaεïз


sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Palavra do Dia... 26/09/2014.

Disse pois: O Senhor é o meu rochedo, e o meu lugar forte, e o meu libertador. 2 Samuel 22:2 - Excelente sexta amados, em nome de Jesus.


Paz...Fé... Amor!!! TE AMO JESUS 
εïзMarciaValeriaεïз





quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Palavra do Dia... 17/09/2014.

Ainda que o pecador faça o mal cem vezes, e os dias se lhe prolonguem, contudo eu sei com certeza que bem sucede aos que temem a Deus, aos que temem diante dele. Eclesiastes 8:12 - Bom dia Povo de Deus em nome de Jesus!


Paz...Fé... Amor!!! TE AMO JESUS 
εïзMarciaValeriaεïз







terça-feira, 16 de setembro de 2014

Palavra do Dia ... 16/09/2014. - Mate a vaca da sua vida!


Mate a vaca da sua vida! O Mestre estava discipulando quando passou por um lugar desanimador, deprimente, conversando com o chefe da família ele disse que sobrevivia somente de uma vaca. Tirava leite fazia queijo, vendia, o único sustento era a vaca. Quando o mestre saiu ele disse ao discípulo: empurre a vaquinha no precipício e sai correndo", o rapaz ficou indignado. Anos depois o mestre voltou no mesmo lugar e tudo estava diferente. O chefe da casa contou que lembrava dele, assim que ele saiu um acidente horrível aconteceu, a vaquinha caiu no precipício e morreu. Mas depois daquele dia ele começou a arar a terra, plantar, vender, comprar mais terras e estava naquela vida muito melhor. Se a vaca não tivesse morrido estaríamos naquela vida até hoje, disse o chefe da família. E o mestre perguntou,: Então isso tudo aconteceu por causa da morte da vaquinha? Ele respondeu que sim.

Pr. Claudio Duarte – “O bom pode afastar você do espetacular.” – Talvez para sua vida mudar uma vaca tem que morrer, algo tem que morrer, algo bom que te deixa estagnado, mate aquilo que precisa ser morto hoje e viva com Jesus: Graça e Paz! 

Um excelente dia para nós com as "vacas" mortas e vida nova em nome de Jesus.



Paz...Fé... Amor!!! TE AMO JESUS
εïзMarciaValeriaεïз




domingo, 14 de setembro de 2014

Palavra do Dia...14/09/2014.

"Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer." João 15:5 - A alegria está na Força que o Senhor nos recarrega a todo momento com a Fé, e a Alegria do Senhor é a nossa Força. Nossa semana já está abençoada em nome de Jesus. 

Paz...Fé... Amor!!! TE AMO JESUS
εïзMarciaValeriaεïз





sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Vamos orar para os familiares e amigos. Uma mulher guerreira se foi, mas deixou ótimos frutos. :(

 Mãe guerreira do meu ex eterno aluno Leandro e amiga Leidiane Macedo. Estou muito triste, mas com a certeza que Deus esta confortando os corações.
Fé e muita Força para toda Família. :(

εïзMarciaValeriaεïз



Mãe é uma palavra tao pequena mas um grande sentimento!!!
Mãe obrigada por cuidar de nos eu e meus irmãos leandro e leonardo, nao existe tantas palavras pra descrever todo mosso amor e carinho por vc q DEUS te de muita saúde e sabedoria para cuidar do meu irmao q precisa muito de vc leandro. te amamos muito MÃE BJSSS



Internet



quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Palavra do Dia 10/09/2014.

Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Mateus 6:33
Excelente dia para nós em nome de Jesus.


Paz...Fé... Amor!!! - Fui...
εïзMarciaValeriaεïз



segunda-feira, 8 de setembro de 2014

O peso do voto evangélico nas eleições.


Eleições 2014

Entrada de Marina Silva – e a escorregada de sua campanha – levaram temas como aborto e casamento gay para o centro da campanha

Mariana Zylberkan e Daniel Haidar
Bíblia
Bíblia (Corbis/VEJA)
Há uma semana, a equipe da campanha da candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, comemorava na manhã de sábado o resultado da pesquisa Datafolha, que registrava ameteórica arrancada da ex-senadora, nova favorita para alcançar o cargo mais poderoso da República. Horas depois, os mesmos assessores se desdobravam para tentar estancar uma crise que se espalhava pelas redes sociais à mesma velocidade com que a candidata ascendeu nas pesquisas. O motivo: o capítulo do programa de governo do PSB que defendia o casamento gay havia sido alterado. E Marina passou a ser bombardeada dos dois lados: foi alvo da fúria de pastores evangélicos e de movimentos LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais).
Que temas como o casamento gay e a legalização do aborto sempre aparecem incendiando debates em eleições não é nenhuma novidade para os eleitores brasileiros – e os assuntos talvez não sejam tão discutidos no país quanto no período de campanha. Por trás da discussão está o peso da religião na hora do voto. E a entrada da evangélica Marina Silva, da Assembleia de Deus, na corrida eleitoral após a trágica morte do cabeça da chapa, Eduardo Campos, imediatamente levou temas como aborto e casamento gay para o centro da campanha. Não é possível dimensionar ainda o tamanho real do estrago, mas, dois dias depois do recuo de Marina com sua cartilha de governo, o instituto Datafolha estava na rua pesquisando as intenções de voto. O resultado: Marina caiu de 41% para 39% das intenções de voto entre os evangélicos.
Apesar do desgaste pela mudança de posição, coordenadores e aliados de Marina avaliam que a decisão fez mais bem do que mal à trajetória eleitoral dela: os evangélicos representam 22% dos votos brasileiros. E essa faixa do eleitorado tende a um alinhamento natural à candidatura de Marina. Prova disso foi que sua entrada na corrida presidencial desidratou justamente o candidato oficial das igrejas, que leva o "pastor" no nome: Pastor Everaldo, do Partido Social Cristão, o PSC. “Pastor Everaldo chegou com grande potencial de polarizar nossos votos, mas a propositura da Marina foi mais ampla, juntou a bandeira da família com o contexto social e político do momento”, diz o bispo Robson Rodovalho, fundador da igreja Sara Nossa Terra, no Distrito Federal, onde a candidata do PSB lidera as pesquisas de intenções de votos com 33%, ante 23% de Dilma Rousseff, segundo o Datafolha.

A influência nas eleições de bandeiras defendidas pelos evangélicos é reflexo da própria expansão da religião no país. Segundo o último Censo, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), em 2010, os seguidores representam 22,2% da população, percentual que aumentou 61% em relação à década anterior – em 2000, eram 9%.
Os evangélicos também têm forte presença no Congresso Nacional, em comparação aos católicos, religião da maioria dos brasileiros. Nos meios de comunicação, a busca dos pastores começou nos anos 1980 como uma forma de conquistar concessões de rádio e televisão. Atualmente, o Congresso possui 73 deputados e senadores evangélicos – a meta para este ano é que o número chegue a cem cadeiras. Desde 1986, a cada pleito, o número de parlamentares cresce 20%. Neste ano, a bancada evangélica emplacou o primeiro representante no Executivo: o bispo Marcelo Crivella (PRB), sobrinho de Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) – ele deixou o cargo de ministro da Pesca para concorrer ao governo do Rio de Janeiro.

Apesar da crescente representatividade política, é difícil esperar que os 22,2% da população brasileira que se declara evangélica irá votar em bloco em um determinado candidato. “Eles não são um grupo homogêneo, é uma diversidade grande”, diz Magali do Nascimento Cunha, professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação Social da Universidade Metodista.
Mesmo com interesses difusos, os bispos e pastores representam o segmento da sociedade atual mais comprometido com o debate político. “Não há outro grupo tão articulado e com objetivos tão nítidos do que os evangélicos”, diz Magali. 
Rio de Janeiro – Em poucos Estados brasileiros a disputa do voto evangélico é tão representativa quanto no Rio de Janeiro, que tem dois dos quatro principais candidatos ligados a igrejas: Marcelo Crivella e Anthony Garotinho (PR). Na última pesquisa do Ibope, Garotinholiderava a disputa com 27% das intenções de voto, enquanto Crivella marcava 17% das preferências. De acordo com a pesquisa, feita entre os dias 30 de agosto e 1º de setembro, 29% do eleitorado fluminense é evangélico, 48% se declaram católicos e 23% dizem ter outra religião.
Os evangélicos estão divididos entre Crivella e Garotinho, que se apresenta como "Irmão Garotinho" em programas de rádio e já foi multado por distribuir brindes religiosos. Entre os evangélicos, 30% apoiam Garotinho e 28% apoiam Crivella.
Para tentar ganhar votos de eleitores católicos ou que declaram ter outras religiões, o marqueteiro Lula Vieira tenta fazer adaptações na imagem de Crivella. Em eleições passadas, ele começou bem, impulsionado pelos evangélicos, mas não chegou ao segundo turno. Pela primeira vez desde que concorreu e foi eleito em 2002, o bispo licenciado foi recomendado pelo marqueteiro a evitar o uso da palavra "universal" e a trajetória religiosa simplesmente deixou de ser mencionada na biografia do seu site.
"O limite do Crivella é exatamente o fato dele ser evangélico. Existe discriminação à maneira como ele construiu sua carreira de político", explica a socióloga Maria das Dores Campos Machado, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e autora de Política e religião: a participação dos evangélicos nas eleições.
Garotinho misturou o apelo religioso com práticas populistas no governo (1998-2001) e hoje possui a maior rejeição entre os candidatos (34%). É considerado o adversário preferido no segundo turno entre os candidatos, por esse índice negativo. "Crivella e Garotinho aproveitam o eleitorado evangélico, mas o problema é falar com o resto. A capital vai ser dura com eles", avalia o cientista político Ricardo Ismael, professor da PUC-Rio.
Se para Garotinho e Crivella o desafio é conquistar eleitores fora dos templos evangélicos, Lindberg (PT) e Pezão (PMDB) ainda tentam conquistar espaço nesses redutos. Desde o ano passado, o candidato petista, ex-comunista e católico não-praticante, percorre cultos e abraça fiéis. Pezão também tenta não ficar em desvantagem. Bateu o recorde de aparições na maior rádio gospel do Estado e por isso chegou a ser multado pelo Tribunal Regional Eleitoral por campanha antecipada.
http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/o-peso-do-voto-evangelico-nas-eleicoes

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Mais um laboratório vai testar vacina contra o ebola

Epidemia


Johnson & Johnson é a segunda farmacêutica a anunciar que estudará a vacina contra o vírus em seres humanos.



Foto 1 / 22
AMPLIAR FOTOS
Enfermeiro trabalha na remoção e enterro de uma vítima de Ebola no Estado da Virgínia, nos arredores de Monrovia, na Libéria
Enfermeiro trabalha na remoção e enterro de uma vítima de Ebola no Estado da Virgínia, nos arredores de Monrovia, na Libéria - Ahmed Jallanzo/EFE
A farmacêutica Johnson & Johnson anunciou nesta quinta-feira que vai testar uma vacina contra o ebola em seres humanos a partir do início do ano que vem. O laboratório decidiu acelerar a pesquisa diante da situação da epidemia da doença no oeste africano, que já é a maior da história. Até então, a expectativa da empresa era dar início ao estudo clínico no final de 2015 ou em 2016.
Esse é o segundo laboratório que decide iniciar estudos clínicos sobre formas de imunização contra o ebola. A GlaxoSmithKline (GSK) divulgou recentemente que deve começar testes em torno de outra vacina ainda neste mês.
A vacina da Johnson & Johnson vem sendo desenvolvida com tecnologia da empresa de biotecnologia dinamarquesa Bavarian Nordic. O objetivo inicial do laboratório era criar uma vacina contra mais de um tipo do vírus ebola, mas a pesquisa foi simplificada para que pudesse ser concluída o quanto antes. O estudo testará uma vacina que protege somente contra a cepa responsável pelos casos da doença no oeste africano.
Surto – A atual epidemia de ebola na África Ocidental já totaliza mais de 3500 casos e 1900 mortes. Nesta quarta-feira, a Organização Mundial da Saúde (OMS) advertiu que, ao menos nos próximos seis meses, não será possível conter a transmissão do vírus.

Entenda o surto de ebola na África

1 de 5

O que é o ebola?

O vírus ebola foi descoberto em 1976 a partir de diagnósticos simultâneos na República Democrática do Congo e no Sudão, na África. Ele provoca uma grave doença conhecida como febre hemorrágica ebola, que pode afetar seres humanos e primatas, como macacos e chimpanzés. O surto de ebola pode chegar a provocar a morte de 90% das pessoas infectadas. Atualmente, não existe vacina e nem cura para a doença.


(Com Reuters)

Al Qaeda anuncia nova "filial" na Índia.


Especialistas afirmam que grupo tenta recuperar imagem ofuscada pela ações do Estado Islâmico (EI)

O chefe da Al Qaeda, Ayman al Zawahiri
O chefe da Al Qaeda, Ayman al Zawahiri (AFP/VEJA)
O chefe da Al Qaeda, Ayman al Zawahri, anunciou nesta quarta-feira a formação de uma filial na Índia do seu grupo terrorista que, segundo ele, vai ampliar o domínio islâmico e "levantar a bandeira da jihad" em todo o subcontinente.
Em um vídeo de 55 minutos, Zawahri disse que a nova força vai "esmagar as fronteiras artificiais" que dividem populações muçulmanas na região e renovou a lealdade ao líder afegão Talibã, mulá Omar.
Especialistas em segurança afirmam que a Al Qaeda vem perdendo terreno entre os grupos terroristas muçulmanos e sofrendo competição do Estado Islâmico (EI), que atua na Síria e no Iraque. O lançamento de uma nova filial parece indicar que a Al Qaeda quer recuperar o protagonismo na disputa por novos recrutas. 
Fundada por Osama bin Laden, que foi morto no Paquistão por soldados americanos em maio de 2011, a Al Qaeda tem reivindicado há bastante tempo a liderança dos jihadistas para restaurar um único califado em terras muçulmanas.
Zawahri descreveu a formação da "Al Qaeda no subcontinente indiano" como "uma boa novidade" para os muçulmanos "na Birmânia, Bangladesh, Assam, Gujurat, Ahmedabad e Kashmir" e que a nova filial reconhecerá a liderança do mulá Omar, que é procurado pelos EUA desde 2001. "É uma entidade que foi criada para reforçar o chamado do imã revivido, o xeque Osama bin Laden. Que Deus tenha misericórdia dele", disse Zawahiri.
(Com agências Reuters e France-Presse)

Palavra do Dia... 04/09/2014.

Excelente quarta-feira para nós em nome de Jesus.
Os olhos do Senhor estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons.
Provérbios 15:3

Paz...Fé... Amor!!! 
εïзMarciaValeriaεïз



quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Palavra do Dia... 03/09/2014.

Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor. 1 João 4:8

Melhor é a repreensão franca do que o amor encoberto. Provérbios 27:5

Eis que os filhos são herança do Senhor, e o fruto do ventre o seu galardão. Salmos 127:3

Paz...Fé... Amor!!! FUI...
εïзMarciaValeriaεïз




segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Convivência de 5 irmãos com ELA é marcada por bom humor em MG

01/09/2014 20h13 - Atualizado em 01/09/2014 20h13


Em Juiz de Fora, irmã diz que 318 pessoas na família têm a doença.
'É um atestado de morte, mas o que segura é o bom humor', diz irmã.

Nathalie GuimarãesDo G1 Zona da Mata
Família Dato em Juiz de Fora (Foto: Aline Dato/Arquivo Pessoal)Nas cadeiras, estão Maria Lúcia (esq.), José Orlando e Ana Amélia; com Aline (esq.) e Mônica atrás
(Foto: Aline Dato/Arquivo Pessoal)
“É uma família enorme, muito unida e com um humor especial. Uma família que não deixa de acreditar. Meus irmãos são guerreiros”, descreveu a pedagoga Aline Pereira Dato Mendes, de 34 anos. Ela é a caçula de nove irmãos de Juiz de Fora, sendo que cinco foram diagnosticados com Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA).
A ELA é a doença rara que motivou o “desafio do balde de gelo”, campanha em que pessoas são desafiadas a jogarem um balde de água gelada na cabeça para chamar a atenção sobre o problema, podendo também fazer uma doação para uma instituição ligada à doença.
Aline conta que a união e o bom humor são marcas da família. “Os filhos ajudam os pais. Todos querem ir em busca de informações. É uma família empenhada. Meus irmãos são exemplos. Não deixam de ser o eixo da família. Temos esperança de que se a cura não chegar para nós, chegue para as próximas gerações”, destacou.
Antes de ser diagnosticada com ELA há sete anos, a assistente social aposentada Ana Amélia Dato Teixeira, de 54 anos, começou a se sentir cansada e julgou que poderia ser a malhação. Mãe de três filhos, hoje usa cadeira de rodas, faz fonoaudiologia e fisioterapia semanalmente para ajudar também na deglutição que ficou comprometida. Atividades que ela gostava de fazer foram deixadas de lado. “Fui me adaptando e fazendo restrições. É um atestado de morte. Sabemos que não vamos escapar, mas o que segura é o bom humor”, destacou.
Arte esclerose (ELA) (Foto: g1)Arte esclerose (ELA) (Foto: g1)
Doença na família
O irmão José Orlando Dato, de 52 anos, foi o primeiro a ser diagnosticado. Pai de três filhos, até os 40 anos jogava futebol e fazia capoeira sem dificuldade, mas começou a se sentir cansado a ponto de comprometer o desempenho no trabalho.
“Ele iniciou tratamento para fadiga e começou a desacelerar o ritmo de vida. Passou por 22 internações e vários médicos em busca de um diagnóstico até que descobrimos a ELA. Com o tempo, a doença evoluiu e foi enfraquecendo os músculos”, contou Aline. Hoje ele anda de cadeira de rodas, faz fisioterapia e usa um aparelho que o ajuda na respiração.
Posteriomente foi a vez de Ana Amélia ter a doença detectada, seguida de Maria Lúcia, de 51 anos; Paulo Roberto, de 48, e Mônica, de 46, diagnosticada há cerca de dez meses.

Aline contou que Maria Lúcia começou com os mesmos sintomas de José Orlando, com cansaço até não poder mais subir as escadas. “Paulo Roberto se afastou do trabalho e Mônica tem uma vida normal, trabalha, só sente o cansaço”, complementou.
Segundo Aline Dato, eles também descobriram que a mãe faleceu em decorrência da doença. “Todos nós procuramos nos registrar na Universidade de São Paulo (USP), que desenvolvem estudo. Descobrimos que há cerca de 318 pessoas na família com a doença”, contou Ana Amélia, que disse ainda que os filhos deles têm 50% de chance de apresentar a ELA.
Aline disse à reportagem que Maria Lúcia é gêmea de outro irmão e que um deles não desenvolveu a doença. “O que nos intriga é que o irmão gêmeo não desenvolveu a doença. Os irmãos foram diagnosticados com idades próximas aos 40 anos. Os que passaram dessa faixa não desenvolveram”, assinalou.
Visibilidade
A assistente social aposentada Ana Amélia Dato Teixeira disse que há poucas pesquisas sobre a doença e que fóruns de discussão na internet ajudam a reunir informações sobre o andamento de estudos pelo mundo afora em um contexto em que não se encontra facilmente informações sobre a doença. “Nunca houve interesse e investimento. A internet tem ajudado muito, há grupos de apoio. Participo de comunidades da ELA no Brasil, Portugal e Argentina. Compartilhamos pesquisas já traduzidas e conhecemos quais países têm avançado nas pesquisas”, contou.
Segundo Ana Amélia, o desafio do balde de gelo ajudou a difundir a doença e estimular doações para pesquisas. “Foi agora, a partir da campanha, que ganhou visibilidade. Há críticas com relação ao uso da água, mas se não houvesse a campanha, a ELA ficaria no anonimato. Já tentamos divulgar, mas ninguém havia se interessado”, afirmou.
Para a irmã Aline, a campanha representa uma luta em prol das pesquisas. “Ver artista tomando banho é engraçado, mas não podemos perder o foco dos artistas anônimos que lutam por isso todo dia”, ressaltou.
É um atestado de morte. Sabemos que não vamos escapar, mas o que segura é o bom humor”
Ana Amélia Dato
Limitações
Além das dificuldades impostas pela doença, Ana Amélia também inclui problemas de acessibilidade nas ruas de Juiz de Fora e os tratamentos não integrados. “É uma doença rara e cara. Não tem nenhuma política do governo para auxiliar no tratamento, que exige cuidados especiais e disciplina. Uso o plano de saúde, mas o trabalho é isolado, não é conjunto. Quando saio de casa, mesmo com alguém me levando na cadeira e ficando apenas sentada, as calçadas nada boas de Juiz de Fora contribuem para o cansaço. Preciso de mais de um dia para descansar”, explicou.

Sobre isso, a chefe do Departamento de Políticas para a Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos (DPCDH) da Prefeitura de Juiz de Fora, Thaís Altomar, informou ao G1 que foram realizadas vistorias de rampas de acesso a passeios e de travessia na Avenida Barão do Rio Branco, no trecho compreendido compreendido entre as ruas Barão de Cataguases e Antônio Carlos. "Foi elaborado um projeto que prevê readequações, reformas ou construções. Estamos aguardando a liberação da verba. Iremos acompanhar as obras", explicou.
http://g1.globo.com/mg/zona-da-mata/noticia/2014/09/convivencia-de-5-irmaos-com-ela-e-marcada-por-bom-humor-em-mg.html

http://www.elo7.com.br/meuquartinhoateliemv

Recent Visitors

Professora Marcia Valeria


http://professoramarciavaleria.blogspot.com.br/


https://www.facebook.com/preceitosbiblicos/?fref=ts


"E tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor, e não aos homens." Colossenses 3:23

Postagens populares

DEFICIÊNCIAS ( Mario Quintana )


"Deficiente" é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.

"Louco" é quem não procura ser feliz com o que possui.

"Cego" é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.

"Surdo"
é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.

"Mudo" é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.

"Paralítico" é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.

"
Diabético" é quem não consegue ser doce.

"Anão" é quem não sabe deixar o amor crescer.

E, finalmente, a pior das deficiências é ser
miserável, pois:
"Miseráveis" são todos que não conseguem falar com Deus.

"A amizade é um amor que nunca morre."

DEFICIÊNCIAS - Mario Quintana (escritor gaúcho nascido em 30/07/1906 e morto em 05/05/1994 .